Consultoria

A teoria

É bem difícil descrever um trabalho tão pessoal. Ele parte da premissa de que nossa relação com o dinheiro é única e particular, assim como são nossos relacionamentos com as pessoas e situações. Nosso costume de generalizar e automatizar faz com que buscar soluções rápidas e garantidas pareça algo óbvio. Mas falha. Planilhas são úteis e podem ajudar, mas quantas vezes você já começou a anotar seus gastos e parou?  Quantas promessas do tipo “mês que vem eu economizo” você já fez e quebrou? A receita de bolo não funciona.

Se o planejamento financeiro parece chato e maçante, é porque está sendo feito errado. Não é o ato de olhar para os números que causa frustração, o que causa frustração é o sentimento de impotência perante ao panorama que fica ali, evidente, na nossa frente.

Dado que o dinheiro é um ingrediente tão importante, por que não aprender a tirar o máximo proveito dele? Por que não tornar mais honesta essa relação tão importante?

E na prática?

O trabalho envolve uma série de bate-papos, geralmente com duração de até 1h30m. A quantidade de encontros depende do andamento do processo. Oscila entre 4 e 12 reuniões. Independente dos objetivos e dos problemas identificados, a dinâmica inicia-se com um mapeamento da situação presente. É nesse mapeamento que surgem as primeiras dúvidas, as primeiras inseguranças e as primeiras oportunidades de mudança.

A consultoria não se destina exclusivamente a pessoas com dificuldades financeiras. É mais amplo do que isso: viabilizar um evento, desafiar o estereótipo da classe média, direcionar melhor os recursos ou investir um montante recebido pontualmente ou de maneira recorrente, todas essas ações podem podem ser beneficiadas por um olhar externo.

Para quem mora em São Paulo, os papos são presenciais, porém é perfeitamente viável realizá-los através do Skype. O valor cobrado pela consultoria, novamente, varia dependendo do cenário e da necessidade.

 

Quem poderia se beneficiar?

  • Quem tem dificuldade para estruturar suas finanças;
  • Quem sente que, considerando o salário que recebe, poderia viver de maneira muito mais tranquila;
  • Quem está planejando uma mudança de carreira ou de vida;
  • Quem gostaria organizar seus projetos de maneira mais rentável e escalável;
  • Quem tem dificuldade para estruturar as finanças de sua pequena empresa ou atividade comercial autônoma;
  • Quem possui dúvidas, mas não consegue estabelecer um plano consistente para saná-las;
  • Quem quer investir.

Depoimentos de quem já passou pelo processo